Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Começa comercialização de moranguinhos da Colônia Penal Agrícola

Publicação:

6f090057 a4ad 4076 9f87 b3ff7e4f10d5
1ª venda de moranguinhos produzidos por detentos da Colônia Penal Agrícola de Charqueadas

A primeira venda de moranguinhos produzidos pelas duas estufas da Colônia Penal Agrícola de Charqueadas, na Região Metropolitana de Porto Alegre, foi efetivada nessa sexta-feira (4). A compra, de 34 quilos, foi feita pelo pequeno agricultor Michel Bernardi para comercialização na feira dos produtores de Charqueadas.

bb3dd84a b58c 404f 9971 9b9043219b98 crop crop
Os primeiros 34 quilos renderam R$ 340 reais

A produção total da Colônia Penal Agrícola está estimada em até quatro toneladas de morangos bonitos, sem conservantes e saborosos. Essa primeira comercialização rendeu R$ 340 reais depositados no conselho da comarca de Charqueadas. Cerca de trinta detentos fazem parte do projeto e estão envolvidos diretamente no plantio com ajuda e orientação de agentes penitenciários e técnicos da Emater. Eles ganham um salário mensal e a redução da pena, prevista em lei. Três dias trabalhados são um dia a menos na prisão.

8a78083f f54c 4579 a165 a798a6fb01ae
A produção total da Colônia Penal Agrícola está estimada em até quatro toneladas

O projeto, chamado de Estufa I, foi criado no ano passado, pela ouvidora da Secretaria de Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e Direitos Humanos (SDSTJDH), Silvana Oliveira. Graças a várias parcerias, o governo do Estado não gasta um real com a iniciativa.

Outros cinco presídios estão em fase de implantação do projeto. Um em Caxias do Sul, outro em Taquara, o Instituto Psiquiátrico Forense e o Instituto Penal Irmão Miguel Dario, em Porto Alegre, e o Instituto Penal de Charqueadas.

SDSTJDH - Secretaria de Desenvolvimento Social, Trabalho, Justiça e Direitos Humanos